Volte ao SPIN

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Início de processo narrativo: Fotos da minha casa

Novas narrativas para o spin cantor, eu sei, afinal de contas são mais de 30 anos de spin, foi na interlocução com o spin cantor que nasceu esta obra, em primeiro lugar o calendário, depois foram brotando objetos que, quando da sua passagem por aqui, lhe entregava como presente, não como forma conquistar, os portugueses fizeram isso para conquistar os índios, já o spin o faz como forma de agradecimento, pois só temos a agradecer àquele que nos serve de desembuche para as nossas narrativas, que é isto que estou inciando neste momento, no momento tenho que interromper este post pq tenho que sair, fui

As imagens abaixo são da minha casa, alguém pode achar que está tudo bagunçado por aqui, ledo engano, acho tudo e qualquer coisa com a menor facilidade, afinal de contas é assim quando estamos em estado de arte, os objetos se comunicam conosco.

É deste emaranhado de coisas que colhi nas ruas desta cidade-estado que construirei novas narrativas para o spin cantor e, se por acaso brotar das palavras algum objeto de arte, ótimo, darei a ele como presente, e se não brotar nenhum objeto quadro pintura desenho, tem nada não, farei conforme foi-me revelado num sonho: Apenas um cartão de visita com o endereço da minha obra. Endereço ou URL ou link ou túnel ou ponte ou spin, tanto faz,,,

fui..., fique com as imagens da minha casa no momentum


Essa foto ficou embaçada, não gostei, tá desfocada, usei o Ipad, eu deveria ter usado o Nokia Lumia 920 que permite fotografia quando estamos em movimento

Meu quarto neste momento. Quarto ou planeta, tanto faz




























******************************

Esta imagem abiaxo entrou sem que eu tivesse a inserido,  trata-se de um modelo de cama com uns gavetões para guardar coisas, vi na loja aqui perto de casa,  dei vontade de adquirir para guardar as coisas abaixo, sendo necessários 4 gavetões, sendo 3 para os três códigos da vida e um quarto para as coisas misturadas, isso que chamamos de "nós". Nós ou bode, tanto faz.